teu silêncio

" Odeio que me roubem a solidão, sem me dar a verdadeira companhia" (Nietzsche)

O silêncio dói... principalmente porque o que não foi dito foi imaginado...

O teu silêncio me abraça na indiferença.

É quando o silêncio nos possui, em lenta quebra do consciente, que nos aproximamos de nós mesmos. O relógio bate e tic e bate e tac, e o outro bater de tic e de tac e já somos inverno: nús na luta desesperada pela luz do sol, o germinar da alma. É nesse silêncio que encontramos a nossa prima(matéria) verdadeira. E um outro soar matemático das ordens do tempo, um de tic e outro de tac, e sabemos que nada foi em vão e nada se perdeu.

tic...tac...tic...tac

Tudo o que foi e tudo o que não foi, serviu para o que é, agora. O doce sabor de quem se afoga em si mesmo, em salgado mar de lágrimas.

2 Comente ; ):

Anônimo disse...

dói aqui também.
estar em silÊncio.
dói...

Patarata disse...

E de dor em dor vamos sobre-vivendo.
Ou seria sob-vivendo?

Creio que seja algo assim...